Levando Pica Do Dotado No Rabo

82 segs

Categoria:

Tag:

visualizações

82 segs

Categoria:

Tag:

Levando Pica Do Dotado No Rabo

Levando Pica Do Dotado No Rabo

O branquinho olhou meu rabo e disse: porra, que estrago vocês fizeram no cú do cara!!!!!…… meu dedo entra folgado!!!….

Mas não me tente, ainda não.

mas era bom ter alguém pra ajudar caso precisasse voltar pra o hospital. Sempre que estou lá o Carlos (o caseiro que tem uns 45 anos também) gosta de ficar conversando e me passando as coisas do sítio, o que ele fez e o que ainda precisa fazer, etc.

Gemiamos e falavamos alto, pensei que os vizinhos ouviriam, mas não deixei de curtir a foda.

Fiquei preocupada com a possibilidade de Rafael entrar mas ela me tranqüilizou pois todos estava muito eufóricos jogando bola ou truco. Agora toma! Gemeu, gozando primeiro na boca e depois se afastando um pouco para ejacular no rosto do cara. Meu marido, percebendo a situação se adiantou e me fez uma pergunta que sempre faz quando estamos em nossa intimidade, vendo pornografia na internet: O que você acha dele? Fiz de conta que não entendi a pergunta, então tentando compreender se era mesmo o que pensava deixei que ele insistisse: Como vc acha que deve ser o pau dele?Resolvi entrar no jogo e respondi que só vendo pra saber e ele se propôs falar com o cara, chamar para ele sentar conosco, neste momento fui contra, não sabia onde essa história poderia dar (ou sabia muito bem)…O fato é que a brincadeira ficou por isso mesmo.

Gozei por todo o corpo dela, a visão daquela menina tão gostosa e com o corpo todo esporrado era única.

Foi até onde ela estava e quando ela o viu, abraçou-o e beijou-o. Minha irmã ia na minha frente até chegarmos no carro, quando reparei no que ela havia dito para minha mãe. Eu disse que trato as putas, travestis ou qualquer pessoa que ficava com respeito, carinho.

Era a minha irmã falando pra ela ir deitar que queria falar com ela.

Então eu tornei a tirar o pau para foraAlém de bonitão, Carlos era também um cara de um temperamento extrovertido, que contava piadas, fazia brincadeiras e se transformou num freqüentador assíduo de nossa casa, retribuindo sempre que podia, principalmente nas ausências de meu pai, levando-nos, a mim e a minha mãe, para a sua linda casa de praia em Cabo Frio. Eu conseguia sentir que ele era bem mais dotado que eu e o Matheus. Fomos os três para o banho e quando saíamos do banheiro, tia Eliane nos esperava na porta do quarto dela, possessa com minha prima Gabi.